Eleições 2018: os desafios do comércio aos novos representantes

Atualizado em 29 outubro, 2018

A desfavorável conjuntura econômica e política, impulsionada por uma grave crise moral e ética solapou a confiança do empresário e das famílias. E ao findar o pleito 2018, é hora do novo governo e das bancadas legislativas estadual e federal, enfrentarem aos desafios impostos.

A Carta do Comércio traz, sob a ótica do empresário catarinense, as principais dificuldades para o desenvolvimento e prosperidade econômica que devem ser mitigadas, através de uma agenda propositiva e eficiente.

O obstáculo ao desenvolvimento é um desses desafios, o documento cita o alto custo da captação de recursos. Nesse aspecto, é possível também citar os parcos recursos oriundos de linhas de créditos especiais e mais baratas para o setor de comércio, serviços e turismo, o qual representa mais de 60% do PIB catarinense e gera mais de 1,3 milhões de emprego no estado. Portanto, um setor que não pode ser negligenciado pelos órgãos de fomento.

Ainda há o enfrentamento da concorrência desleal da pirataria e da informalidade. Ao citarmos o ambiente econômico há um sinal de alerta para a deterioração dos níveis de renda do catarinense, que em termos reais ainda não retornaram aos valores vistos em 2014. No campo do comércio exterior o principal obstáculo citado é relacionado às barreiras tarifárias e não tarifárias. Na inovação, principal fonte de competitividade das empresas, foi observada na pesquisa a falta de apoio governamental para o desenvolvimento de novos produtos catarinenses e a valorização de iniciativas da economia criativa.

A qualidade dos serviços públicos também merece atenção. Os empresários avaliaram a questão da Saúde e do Saneamento Básico como as piores notas. Cultura e Lazer foi o serviço melhor avaliado, mas mesmo assim, o resultado foi abaixo da média.

Portanto, os desafios para a próxima gestão estadual são grandes e os recursos são escassos.  Com o compromisso do governador eleito em não elevar a carga tributária, a busca pela máxima eficiência administrativa deve ser a tônica dos próximos quatro anos.

Artigo originalmente publicado nos jornal Notícias do Dia, edição do dia 29 de outubro de 2018.

Leia também

13 janeiro, 2020

Missão NY: mergulho na cultura do varejo

23 abril, 2019

Crescer Mais Sustentável

15 fevereiro, 2019

O desafio do futuro e a cabeça do passado

15 janeiro, 2019

Não à guerra fiscal