ECONOMIA

O que muda com a ‘minirreforma trabalhista’

Atualizado em 27 agosto, 2021

 

O Senado Federal tem até o dia de 7 de setembro para votar o Projeto de Lei de Conversão (PLV) da Medida Provisória 1045/2021, que renova o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e Renda. O texto com os novos artigos foi aprovado pela Câmara dos Deputados na última quinta-feira (12). A vigência da atual rodada do BEm termina nesta quarta-feira (25), quando devem encerrar os acordos.

A Fecomércio SC segue acompanhando a matéria para orientar os empresários sobre as novas regras. O Programa prevê redução ou suspensão de salários e jornada de trabalho com o pagamento de um benefício emergencial aos trabalhadores com carteira assinada e com contratos de aprendizagem e de jornada parcial, calculado com base no seguro desemprego. Em 2020, ajudou a minimizar as perdas de postos de trabalho e garantiu renda para as famílias.

“Em que pesem eventuais críticas ou “pontos falhos” no texto legal, a Fecomércio SC entende que a iniciativa é importante para a preservação do emprego e reinserção de trabalhadores no mercado de trabalho. Certamente os programas precisarão ser aperfeiçoados e a sua aplicação deverá ser acompanhada de perto, para que sejam efetivos e alcancem os objetivos para os quais foram criados”, pontua o vice-presidente da Fecomércio SC, Emílio Rossmark Schramm.

Reflexo em SC

Os dados até agosto apontam que cerca de 571 mil trabalhadores formais foram alcançados em Santa Catarina entre a primeira e segunda versão do Bem, com a realização de mais de 969 mil acordos.

O setor de serviços representou 40% dos acordos e o setor do comércio 15%. Ou seja, mais da metade dos acordos realizados no período foram do setor terciário, um dos mais afetados pela crise provocada pela pandemia, totalizando 482 mil acordos em 2020 e 53 mil em 2021.

>   Confira o painel público com os dados do BEm

Novos programas

O PLV incluiu outros temas, dentre os quais programas de primeiro emprego e de qualificação profissional, mudanças na CLT e referentes ao benefício da justiça gratuita.

  • Requip (Regime de Qualificação Profissional)- regime especial de trabalho, qualificação e inclusão produtiva que tem como foco aqueles que estão há mais de dois anos sem registro em carteira de trabalho, jovens entre 18 e 29 anos e beneficiários do Bolsa Família com renda mensal familiar de até R$ 2.200,00 (dois mil e duzentos reais).
  •  Priore (Programa Primeira Oportunidade e Reinserção no Emprego)– direcionado aos jovens em busca do primeiro emprego e pessoas desempregadas com 55 anos ou mais.
  • Programa Nacional de Prestação de Serviço Social Voluntário– sem qualquer vínculo trabalhista, o programa será destinado a jovens de 18 a 29 anos e a pessoas com mais de 50 anos, com duração de 18 meses em atividades de interesse público dos municípios.

Novas regras

O Novo Programa garante o pagamento do benefício aos trabalhadores com redução de jornada de trabalho ou com contrato suspensoem formato semelhante ao programa aplicado em 2020, garantindo estabilidade provisória e contemplando os contratos anteriores à edição da MP, com exceção dos contratos de trabalho intermitentes.

  • Foram criadas também regras específicas para a concessão do benefício às gestantes, com a suspensão durante a licença maternidade, pagamento de salário com base no valor anterior à entrada no programa, pagamento e desconto do valor do INSS por parte do empregador.
  • Os serviços essenciais também foram contemplados nas novas regras, sendo que os acordos deverão resguardar o seu exercício e o funcionamento dos estabelecimentos que os tenham como atividades.
  • Outro ponto relevante é no sentido de tornar regra a dupla visita do fiscal do trabalho para as micro e pequenas empresas, dentre outras. Significa dizer que o fiscal somente poderá multar uma empresa na segunda vez em que for inspecionar determinada irregularidade, caso não tenha sido corrigida.
  • limitação do acesso à Justiça gratuita, também está prevista no texto da Medida, mediante comprovação da condição de vulnerabilidade e proibição do juiz do trabalho suprimir pontos de acordo extrajudicial, também estão contempladas no texto aprovado pela Câmara;
  • Outros pontos relevantes são: sanções aos estabelecimentos que vendem produtos não alimentícios recebendo vale-alimentação; vigência de Termo de Compromisso sobre legislação de proteção ao trabalho; previsão na CLT que permite aos sindicatos o exercício de atividade econômica, desde que não configure concorrência às empresas da respectiva categoria econômica; possibilidade de indicação de assistentes técnicos para acompanhar exame técnico pericial em ações previdenciárias e relativas à assistência social.

Leia também

MERCADO 01 julho, 2022

Novas rotas devem impulsionar turismo regional no Oeste de SC

ECONOMIA 30 junho, 2022

Mercado de trabalho mantém saldo positivo em maio, mas apresenta sinais de desaceleração em SC

INSTITUCIONAL 24 junho, 2022

Vice-presidência da Fecomércio SC reúne lideranças do Sistema no Meio-Oeste

ECONOMIA 24 junho, 2022

Derrubada de veto do governador será passo importante pela justiça tributária, aponta Fecomércio SC