ECONOMIA

Inflação de setembro é a maior desde 1994

Atualizado em 08 outubro, 2021

A aceleração da inflação pesa no bolso do brasileiro e compromete retomada econômica. A taxa da inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado nesta sexta-feira (8), avançou 1,27% em setembro- o maior patamar para o mês desde o lançamento do Plano Real em 1994, quando chegou a 1,53%. Pela primeira vez em cinco anos, o Brasil voltou a ter uma inflação anual de dois dígitos (10,25%).

A alta constante dos preços está refletindo na deterioração do rendimento real médio do catarinense, que sofreu queda de 1,4%.  Com a renda menor e o orçamento mais apertado, os catarinenses estão consumindo menos, conforme aponta a pesquisa de intenção de consumo das famílias (ICF) realizada pela Fecomércio SC.

O panorama é preocupante não só por conta do aumento nos preços, mas pela disseminação da alta para diversos produtos. Em setembro, o maior impacto foi nos grupos de Habitação (2,56%), Transporte (1,82%) e Alimentação e Bebidas (1,02%).  A alta na energia elétrica (6,47% no mês/ 28,82% em 12 meses) e no combustível (2,43% no mês / 42,02% em 12 meses) torna o cenário mais arriscado, pois esses itens são base para formação de outros preços e a elevação pode levar a um efeito em cascata.

⇒ Veja a análise completa no Relatório IPCA set/21

Confira os dados dinâmicos:

Leia também

ECONOMIA 03 dezembro, 2021

Economia desacelera e fica estagnada no 3º trimestre

ECONOMIA 02 dezembro, 2021

Confira as tendências e o comportamento de consumo no Natal em SC

ECONOMIA 01 dezembro, 2021

Consumidores devem economizar e pagar dívidas com 13 º em SC

ECONOMIA 30 novembro, 2021

Taxa de desocupação reduz, mas rendimento real deteriora em SC