MERCADO

Pandemia impactou negativamente no turismo de inverno na Serra

Atualizado em 29 setembro, 2020

O turismo de inverno na Serra catarinense foi diretamente afetado pela pandemia de Covid-19. Restaurantes, hotéis, pousadas e pontos turísticos adotaram uma série de medidas sanitárias para garantir a segurança dos funcionários e turistas, porém o movimento foi bem abaixo dos anos anteriores. Conforme a Pesquisa Fecomércio de Turismo: Inverno na Serra de Santa Catarina 2020, apresentada em live nesta terça-feira (29), oito em cada dez empresários consideraram a temporada negativa: 37,2% rotulou o movimento como ruim, 30% como muito ruim e 12,6%como irrelevante.

Leia a pesquisa na íntegra

Os setores de hotelaria (62,5%) e bares e restaurantes (43,5%) foram os mais prejudicados. Por outro lado, os resultados foram positivos para o setor supermercadista (50%) e de farmácias (33,3%).

A previsão de neve no fim do mês de agosto ajudou a minimizar os impactos negativos – os hotéis da região registraram taxa de ocupação de 91% das unidades habitacionais, considerando as restrições por conta da pandemia. Apesar da alta de 34% no ticket médio, puxado pela hospedagem, a baixa circulação de turistas e visitantes na região refletiu na redução do faturamento (-33,7%) das empresas.

Os dados também apontam que 60,4% dos estabelecimentos realizaram algum tipo de ajuste no quadro funcional, de demissões (44%) a concessão de férias coletivas (25,6%).

A Fecomércio SC realiza esta pesquisa desde 2011. Nesta edição, foram entrevistados 278 empresários e gestores de estabelecimento comerciais, entre os dias 3 e 5 e 19 e 21 de agosto, em 12 cidades da região.

Potencial turístico

Mesmo com movimento menor nesta temporada, a procura por hospedagem foi grande, segundo o empresário de Bom Jardim da Serra, Mário Michels, sinalizando que o cenário será mais favorável nos próximos meses. “Vejo com otimismo o futuro do turismo na Serra. Temos um tesouro inesgotável em Santa Catarina e em nossa região. O que não falta é potencial turístico no Estado, mas precisamos puxar a corda para o mesmo lado, trabalhar de forma organizada e manter a sustentabilidade”, avalia.

O turismo regional está se mostrando uma tendência durante a pandemia e pode ser uma oportunidade para impulsionar as rotas e destinos do Estado. O presidente da Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio SC, Marco Aurélio Floriani, faz uma provocação durante a live: “Estamos vendendo a Serra para o Litoral? E o Litoral para o Oeste? Será que o catarinense conhece o próprio estado?”. Segundo Floriani, é necessário melhorar a comunicação interna e apresentar Santa Catarina como um produto único, valorizando as diferentes riquezas do Estado.

:: Este debate faz parte da programação do Dialógos Fecomércio SC, ciclo de lives que reúne especialistas de diferentes áreas para debater temas emergentes que impactam direta ou indiretamente nos setores do comércio, serviços e turismo. As edições anteriores foram sobre Reforma Tributária e LGPD.

 Veja a live na íntegra:

Leia também

ECONOMIA 15 outubro, 2021

Volume de Serviços mantém trajetória de recuperação, mas em ritmo gradativo

ECONOMIA 11 outubro, 2021

Oito em cada dez catarinenses estão cautelosos com compras grandes

ECONOMIA 08 outubro, 2021

Inflação de setembro é a maior desde 1994

ECONOMIA 07 outubro, 2021

Brasil flexibiliza entrada de estrangeiros