PESQUISA

Pesquisa de Avaliação do Serviço Público 2016 aponta desafios para prefeitos de sete cidades em SC

Atualizado em 30 janeiro, 2019

Os futuros gestores das sete principais cidades de Santa Catarina terão dois grandes desafios nos próximos quatro anos (2017/2020): segurança pública e mobilidade. Os indicadores sociais receberam as piores notas na Pesquisa de Avaliação do Serviço Público de 2016, realizada pela Fecomércio SC, com médias de 2,27 e 2,47, respectivamente. O desempenho negativo foi liderado pelas cidades de Criciúma (1,78) e Florianópolis (1,87).

Leia a pesquisa na íntegra

Os nove quesitos – Saúde, Educação, Preservação Ambiental, Segurança Pública, Mobilidade Urbana, Água e Esgoto, Limpeza Urbana, Habitação e Cultura e Lazer – foram avaliados com notas de 0 a 5 para mostrar a percepção da população quanto à qualidade dos serviços públicos oferecidos em Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Blumenau, Joinville, Lages e Chapecó e trazer um panorama aos novos prefeitos.

Foco na saúde e educação

Para a população, as prioridades devem ser voltadas aos serviços essenciais, como saúde e educação, que receberam a nota média de 2,6 e 2,95. De acordo com dados secundários do Sistema de Indicadores da FECAM (Federação Catarinense dos Munícipios), elaborado em parceria com a Fecomércio SC, a qualidade melhorou de 2012 a 2014, mas ainda precisa avançar para atingir as metas estipuladas pelos diferentes órgãos de fiscalização, regulamentação ou promoção do serviço.

A cidade melhor posicionada nos dois indicadores foi Chapecó, que avaliou o atendimento à população com as notas 3,33 e 3,41. A representante do Oeste também registrou os números mais altos em segurança pública (2,70) e habitação (3,52), entre as sete cidades pesquisadas. Na outra ponta está Florianópolis, que acumula seis piores posições: educação (2,45), preservação ambiental (2,53), mobilidade urbana (1,87), água e esgoto (2,24), limpeza (3,01) e habitação (2,9).

De acordo com o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, a pesquisa visa estabelecer um parâmetro de satisfação da população quanto à prestação dos serviços nestes municípios e pode se transformar em um importante balizador na proposição de políticas públicas.

“Na medida em que as receitas dos municípios caem e as responsabilidades aumentam cada vez mais, a Fecomércio SC trabalha para desenvolver um verdadeiro sistema de inteligência de dados e indicadores sociais catarinenses de forma que possamos, em parceria com o poder público e as entidades da sociedade civil, estabelecer asprioridades da política pública para que o orçamento seja executado em prol do cidadão”, pontua Breithaupt.

Melhores notas

O serviço melhor avaliado em todo o estado foi a limpeza urbana, com nota média de 3,42. O indicador recebeu a nota mais alta em Itajaí (3,85) e a mais baixa em Florianópolis (3,01). Em segunda posição está a cultura e lazer, com média de 3,20. Blumenau se destaca com a nota mais alta (3,41), em contraponto a Joinville (3,01). O terceiro quesito melhor avaliado foi a habitação (3,16), com o melhor desempenho encabeçado por Chapecó (3,52) e Florianópolis novamente na retaguarda (2,90).

Leia também

ECONOMIA 13 maio, 2021

Queda de 3,4% no mês interrompe a retomada no volume de serviços em Santa Catarina

Trabalhista 13 maio, 2021

Sancionada Lei que determina o afastamento de gestantes durante a pandemia

ECONOMIA 11 maio, 2021

IPCA aumenta 0,31% em abril e segue em patamar acima do teto da meta de inflação

ECONOMIA 07 maio, 2021

Volume de vendas no comércio mantém tendência de queda em SC