ECONOMIA

Volume de vendas do comércio varejista avança em Santa Catarina

Atualizado em 08 julho, 2021

Setor de tecidos, vestuário e calçado reverteu as perdas dos meses anteriores

O volume de venda do comércio varejista de Santa Catarina avançou 1,5% em maio frente ao mês anterior, segunda alta consecutiva- resultado semelhante ao nível nacional (1,4%).

A alta foi de 2,8% na comparação com maio de 2020 e de 4,4% no acumulado do ano. O resultado foi ainda mais expressivo no acumulado de 12 meses, com crescimento de 7,7% no volume de vendas, acima da média nacional (5,4%).

Considerando o comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção, a tendência é semelhante, já que houve ampliação de 4,7% na comparação com o mês anterior e de 17,5% em relação a maio de 2020. No acumulado de 2021, o comércio ampliado cresce 14,6%, acima do resultado nacional (12,4%).

O resultado reflete maior dinamismo das atividades econômicas mesmo diante das restrições impostas para prevenção e enfrentamento à COVID-19 e pode ser reflexo, especialmente, das medidas econômicas que ajudaram a amortecer os impactos negativos, tais como o auxílio emergencial e do programa de preservação e manutenção de emprego e renda. Além disso, a data comemorativa do Dia das Mães aqueceu as vendas do setor, ampliando o faturamento das empresas em 27,75% no comparativo com o ano anterior, movimento oposto ao ano de 2020, que apresentou elevada queda de 32,38%.

Recuperação

O avanço da retomada das atividades econômicas começa a impulsionar segmentos que encerraram o ano de 2020 em queda. Dentre os 10 principais grupos de atividades da pesquisa, seis deles apresentaram perdas no ano anterior. Em maio, para o acumulado de 12 meses, três segmentos ainda permanecem com queda: livrarias e papelarias (-23,2%), equipamentos e materiais de escritório, informática e comunicação (-27,7%) e,combustíveis e lubrificantes (-4,0%).

Importante destacar a recuperação do setor de tecidos, vestuário e calçados e Veículos, motocicletas, partes e peças, que reverteram o movimento de perdas no mês anterior e permanecem avançando, com alta acumulada em 12 meses de 9,3% e 12,4%, respectivamente.

Impacto no emprego

A retomada do volume de vendas do segmento de vestuário e calçados parece não ser suficiente para a geração de novas vagas de trabalho. O comércio varejista de artigos de vestuário e acessórios, apesar do avanço de 199 novas vagas em maio, fechou 1.602 postos de trabalho no ano. Resultado também expressivo no comércio varejista de calçados e artigos de viagem, onde a  perda alcança 833 empregos no ano.

Por outro lado, alguns setores avançam em ambas as direções, com crescimento no volume de vendas e na geração de postos de trabalho, tais como o comércio de produtos farmacêuticos, sem manipulação de fórmulas com criação de 1.214 vagas e alta de 14,10% em 12 meses e comércio varejista de materiais de construção em geral com volume de vendas de 26,40% e criação de 1.941 postos de trabalho em 2021.

Confira a movimentação do setor:

Leia também

ECONOMIA 13 maio, 2022

Volume de serviços em SC interrompe trajetória negativa em março

ECONOMIA 12 maio, 2022

Consumidores em SC adotam alternativas para driblar inflação, aponta Fecomércio SC

ECONOMIA 12 maio, 2022

Inflação desacelera em abril, mas alta dos preços alcança 78,25% dos produtos

ECONOMIA 11 maio, 2022

Estado aprova redução do ICMS para leite e outros produtos alimentícios