Com queda recorde no volume de vendas, varejo em SC fecha mais de 5,5 mil lojas em 2015

20 Fevereiro, 2018 - Atualizado em 18 Fevereiro, 2016

 A queda na renda da população e a restrição ao crédito contribuiram para que o varejo amargasse em 2015 o pior desempenho dos últimos 15 anos em Santa Catarina. O tombo foi maior no varejo ampliado, que inclui setor automotivo e materiais de construção, com recuo de 10,1% no ano passado, frente à média nacional de 8,6%. O volume de vendas do varejo restrito encolheu 3,1% na comparação com o ano anterior, a queda mais acentuada desde 2001, início da série histórica da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do IBGE.

A consequência desse cenário foi o fechamento líquido de 5,597 lojas com vínculos empregatícios (saldo entre o número de lojas abertas e fechadas), que corresponde a uma retração de 13,8% em estabelecimentos comerciais que empregam ao menos um funcionário.

“O resultado fraco das venda e o fechamento de lojas é reflexo de uma série de fatores que provocaram a desaceleração no consumo das famílias, interrompendo um ciclo de crescimento do mercado. A alta da inflação derrubou a confiança do consumidor. O acesso ao crédito, que tradicionalmente é a válvula de escape do brasileiro, encareceu a tal ponto que comprometeu a capacidade de consumo, especialmente nos segmentos mais dependentes das compras a prazo”, afirma o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt.

O segmento que costuma apresentar pouca variação nas vendas – hipermercados, supermercados e mercearias –  teve queda de 4,7% nas vendas em 2015, mostrando que a cautela nos gastos chegou também no consumo de alimentos. Já o único setor com resultado positivo foi o de medicamentos, com alta de 4,9% nas vendas no Estado.

> Confira o volume de vendas por segmento em 2015 e a variação de preços no período

Leia mais:

Cai índice de confiança do empresário do comércio catarinense​

Queda nas vendas reflete no saldo negativo de empregos em SC​


Alta da carga tributária deve impactar no custo de vida e na competitividade​

Variação % no número de lojas em 2015
Santa Catarina fechou mais estabelecimentos do que a média nacional (-13,4%) e menos do que os dois estados do Sul: Paraná (-16,2%) e RS ( -16,4%)

Quebra no ciclo de crescimento

Restrição orçamentária das famílias, elevação dos juros e a gradual retirada dos incentivos via redução do IPI refletiram nos números nacionais. Em todo país, cerca de 95,4 mil lojas (-13,4%) fecharam as portas neste período.

As vendas do varejo restrito encerraram 2015 com queda de 4,3%. O resultado negativo superou até mesmo a queda de 3,7% registrada em 2003, o pior ano do setor até então.

No conceito ampliado, que incorpora os resultados do comércio automotivo (-17,8%) e de materiais de construção (- 8,4), a queda foi de 8,6% nas vendas. Estes segmentos mais dependentes das condições de crédito sentiram diretamente o impacto na variação do número de lojas: Materiais de construção (-18,3%), Informática e comunicação (-16,6%), Móveis e eletrodomésticos (-15,0%) e Comércio automotivo (-14,9%).

O segmento que responde por um em cada três estabelecimentos comerciais do país – hipermercados, supermercados e mercearias- também registraram diminuição expressiva no número de lojas (25,6 mil) e em volume de vendas (-2,5%). Somados às lojas de vestuário e acessórios, esses segmentos responderam por quase metade (45,0%) das lojas que saíram de operação.

Leia também

MERCADO 16 Fevereiro, 2018

Revogado decreto que aumenta impostos de produtos de perfumaria e higiene pessoal

PESQUISA 15 Fevereiro, 2018

Quem é o turista que circulou no Litoral de SC em janeiro?

ECONOMIA 09 Fevereiro, 2018

Comércio catarinense encerra 2017 com maior variação no volume de vendas do país

PESQUISA 09 Fevereiro, 2018

Maior consumo de pirataria em 2017 foi no dia dos pais e das crianças em Santa Catarina