ECONOMIA

Alimentação, alojamento e vestuário devem liderar abertura de vagas temporárias em SC

Atualizado em 18 novembro, 2021

Com a proximidade das festas de fim de ano e da temporada de verão 2022, cresce a procura por trabalhadores temporários para atender a demanda extra no comércio e serviços em Santa Catarina. Os setores que mais devem abrir vagas são alimentação (60%), alojamento (52%) e vestuários, calçados e acessórios (48%), de acordo com a pesquisa Trabalho temporário– Temporada Verão 2022, realizada pela Fecomércio SC em onze cidades.

Já os setores que foram menos impactados na pandemia ou que já recuperaram as perdas no mercado de trabalho, como móveis/decoração (17%) e farmácia (11%), tendem a não ampliar o número de funcionários. No acumulado de 2021, o segmento de farmácia criou 1.386 postos e lidera a abertura de novas vagas entre as 221 atividades do comércio. O comércio varejista de móveis apresenta cenário parecido e gerou 544 postos de trabalho no acumulado do ano.

> Leia na íntegra: Trabalho temporário – temporada 2022

Os empresários estão otimistas em relação aos próximos meses: 90% acreditam que o faturamento será maior do que na temporada passada. Mais da metade (54,1%) dos entrevistados afirmou que não pretendem contratar, enquanto 32,6% disseram que sim e 13,2% não sabe ou não respondeu, o que pode estar relacionado às incertezas da conjuntura econômica.

Entre as empresas que pretendem ampliar o quadro funcional, 58% afirmaram que vão contratar mais (27,1%) ou igual (24,1%) e apenas 7,1% menos. Percentual expressivo (34,1%) não havia contratado no ano passado.

As contratações devem ser realizadas em novembro (54%) e dezembro (37%). Os dados apontam que a chance de efetivação após o fim do contrato é grande, visto que 65,3% sinalizaram que podem manter o trabalhador na empresa.

Confira os dados dinâmicos:

A pesquisa foi realizada entre os dias 28 de outubro e 04 de novembro, com a participação de 521 empresas do comércio e serviço, nas cidades de Criciúma, Blumenau, Chapecó, Laguna, Itajaí, Imbituba, Joinville, Florianópolis, São Francisco do Sul, Balneário Camboriú e Lages.

 

Leia também

ECONOMIA 14 janeiro, 2022

Inflação provoca descompasso entre volume e receita do comércio catarinense em novembro

ECONOMIA 13 janeiro, 2022

Volume de serviços em novembro tem alta histórica para o mês

MERCADO 13 janeiro, 2022

Reajuste do piso mínimo regional em 2022 será de 10,5% em SC

ECONOMIA 12 janeiro, 2022

IPCA fecha 2021 em 10,06%, maior taxa desde 2015