ECONOMIA

Dia dos Namorados deve aquecer comércio e setor de serviços em SC

Atualizado em 21 maio, 2021

Todo ano, o Dia dos Namorados movimenta o comércio e o setor de serviços em Santa Catarina. Além da tradicional troca de presentes, os casais costumam comemorar a data com jantares, viagens e passeios. A pesquisa de intenção de compras realizada pela Fecomércio SC aponta que o comportamento de consumo mudou no início da pandemia por conta do isolamento social: em 2020, a maioria afirmou que não iria sair (68,7%), porém este ano o percentual caiu para 44,2%. Já a pretensão de almoçar ou jantar fora (35,1%) teve alta de 22,9 p.p em relação a 2020 (12,2%).

Leia a pesquisa na íntegra

A pesquisa da Fecomércio SC sobre a Intenção de Compras no Dia dos Namorados foi realizada com 1.123 pessoas, entre os dias 04 e 18 de maio, em Blumenau, Chapecó, Criciúma, Florianópolis, Itajaí, Joinville e Lages.

DESTAQUES

  • O gasto médio este ano deve ser de R$ 142,62, incluindo presentes e serviços- considerando a inflação acumulada em 12 meses (6,7%), a queda é de 3,5% na comparação com o ano passado;
  • A percepção sobre a situação financeira está mais positiva em 2021. Entre os consumidores, 36,9% sinalizaram que está melhor (2020: 21%) e 25,6% consideraram pior (2020: 41,8%);
  • Quase oito em cada dez consumidores devem fazer pesquisa de preços antes de garantir o presente;
  • Assim como nas outras datas, as compras devem ficar para a última hora- 44,8% devem ir às lojas na semana da data, 22,6% na véspera e 7,9% no dia;
  • Roupas (39,9%), perfumes/cosméticos (18,4%) e calçados/bolsas (13,6%) lideram a preferência.

    Veja no BI os dados dinâmicos:

Leia também

MERCADO 12 julho, 2024

Volume de serviços cresceu 5,4% no acumulado do ano, aponta Pesquisa Mensal de Serviços

INSTITUCIONAL 12 julho, 2024

Presidente da Fecomércio SC participa de comitiva catarinense em Portugal

MERCADO 11 julho, 2024

Vendas do comércio catarinense cresceram em maio, aponta pesquisa

ECONOMIA 10 julho, 2024

Inflação desacelerou em junho na comparação com maio e subiu 0,21%, aponta IPCA