ECONOMIA

Volume de Serviços recua pelo segundo mês consecutivo em Santa Catarina

Atualizado em 11 junho, 2021

O volume de serviços de Santa Catarina recuou 1,1% em abril frente a março- segundo mês consecutivo de  movimento negativo. O resultado é oposto ao ritmo nacional, que avançou 0,7% na passagem do mês.

No comparativo com abril de 2020, houve acréscimo de 29,3%, oitava taxa positiva seguida e a mais intensa da série histórica, iniciada  em janeiro de 2012.  No acumulado do ano, o volume de serviços avançou 13,7% em comparação ao mesmo mês do ano anterior  e no acumulado nos últimos doze meses passou de -1.4% em março para 2,3% em abril de 2021, interrompendo a variação negativa desde abril de 2020.

Esses resultados refletem cenários distintos do volume de serviços no Estado. Por um lado, o ritmo da retomada das atividades, levando em consideração a variação mês a mês, se apresenta de forma lenta e negativa em Santa Catarina, reflexo das incertezas em relação ao recrudescimento da pandemia, da aceleração dos níveis de preços e da imunização em escala ainda limitada, além de mostrar as dificuldade da recuperação das perdas  de diferentes segmentos ocorridas durante todo o período da pandemia.

Entretanto, a intensidade no volume de serviços estão em patamares maiores frente ao ano anterior, reflexo da adaptação das atividades econômicas mesmo diante das restrições impostas para a prevenção e enfrentamento à COVID-19 e das medidas econômicas que ajudaram a amortecer os impactos negativos, tais o auxílio emergencial e do programa de preservação e manutenção de emprego e renda.

Retomada desigual

O movimento positivo não foi linear e diferentes segmentos sofrem efeitos negativos, direto e indireto, em virtude da pandemia. Por isso, a retomada é desigual e algumas atividades acumulam perdas. Entre os setores investigados, no acumulado de 12 meses, dois das cinco atividades persistem com resultados negativos, com destaque para a diminuição de 22,5% nos serviços prestados ás famílias, seguidos pelos serviços de informação e comunicação com perdas de 1,1%.  No mercado formal os impactos negativos nas atividades desses segmentos reforçam as perdas, com o fechamento dos postos de trabalhos entre janeiro a abril de 2021, principalmente para hotéis (-1570) e restaurantes e similares (-871) e lanchonetes, casas de chás, de sucos e similares (-178).

Já a evolução positiva ocorre no segmento de Serviços profissionais, administrativos e complementares (22.5%); transporte, serviços auxiliares aos transportes e correio (5,1%) e outros serviços (2,0%).

Turismo

O panorama das atividades turísticas em Santa Catarina permanece com elevado impacto em virtude das medidas de restrições de atividades impostas para o controle e diminuição da propagação do COVID-19.  Em abril, o volume de atividades turísticas acumula queda de 29,6% nos últimos 12 meses em Santa Catarina. Tendência equivalente na variação do acumulado do ano com queda de 12,7%.

Apesar da intensidade negativa das perdas, o setor parece apresentar um sinal de retomada com crescimento de 8,3% na variação mensal frente ao mês anterior. Além disso, no comparativo com mesmo período do ano anterior, o volume das atividades turísticas encerra abril com variação de 80,8%.

A permanência desse movimento é incerta e o setor permanece com perdas na movimentação dos postos de trabalho no Estado de Santa Catarina. Com base nas informações divulgadas pelo Novo Caged e considerando as atividades características do turismo (ACT), definidas segundo Organização Mundial do Turismo e Ministério do Turismo, os impactos são negativos na geração de postos de trabalho desde o início da pandemia no Estado (mar/20 até abril/21), com fechamento de 14.979 postos de trabalho.

Confira AQUI ou abaixo os dados sobre o desempenho do setor de serviços:

Leia também

ECONOMIA 29 julho, 2021

Confiança do empresário cresce em julho, mas consumo ainda é tímido em SC

SESC/SENAC 29 julho, 2021

Campanha de doação de alimentos é prorrogada até 20 de agosto

ECONOMIA 28 julho, 2021

Governo Federal recria Ministério do Trabalho e da Previdência

ECONOMIA 27 julho, 2021

Senac lança livro com indicadores do varejo alimentício