MERCADO

Medida Provisória 927 que flexibiliza regras trabalhistas perde vigência

Atualizado em 31 julho, 2020

A Medida Provisória nº 927/2020, que dispôs sobre alternativas trabalhistas que poderiam ser adotadas pelos empregadores para preservação do emprego e da renda no enfrentamento do estado de calamidade pública, não foi votada pelo Senado Federal dentro do seu prazo de vigência, o que resultou em sua não transformação em lei e pode causar uma série de dúvidas e transtornos.

Dentre as hipóteses previstas na Medida Provisória, que perdeu eficácia no dia 19 de julho, estavam a celebração de acordo para fim de garantir o vínculo empregatício, o teletrabalho, a antecipação de férias e feriados, a flexibilização de regras para férias coletivas, o banco de horas, a suspensão da obrigatoriedade de exames médicos ocupacionais e o diferimento do recolhimento do FGTS.

Por se tratar de Medida Provisória, seu texto produz efeitos durante o seu prazo de vigência, sendo que as medidas trabalhistas tomadas nesse período tem validade.

Para a aplicação das regras da Medida Provisória para além do seu período de vigência, em que pese a previsão no próprio texto de que as medidas tem como objetivo o enfrentamento do estado de calamidade pública, não há segurança jurídica. Dessa forma, eventuais acordos celebrados após o dia 19 de julho de 2020 estarão sujeitos a questionamentos no Judiciário.

No prazo de 60 dias após o encerramento da vigência da Medida Provisória, cabe ao Congresso Nacional a edição de Decreto Legislativo para regulamentação para disciplinar as relações jurídicas resultantes de sua aplicação.

Leia também

MERCADO 06 agosto, 2020

Quase 20% ainda estão indecisos com presentes para Dia dos Pais em SC

MERCADO 06 agosto, 2020

Desafio de Inovação vai selecionar projetos que visam melhorar competitividade do turismo

ECONOMIA 04 agosto, 2020

Governo lança nota fiscal eletrônica em Santa Catarina

MERCADO 04 agosto, 2020

Marco Aurélio Floriani toma posse na Câmara de Turismo da Fecomércio SC e destaca desafios do setor