ECONOMIA

Taxa de desocupação reduz, mas rendimento real deteriora em SC

Atualizado em 03 dezembro, 2021

Santa Catarina segue com taxa de desocupação em trajetória de queda no 3º trimestre de 2021, conforme dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada nesta terça-feira (30) pelo IBGE. O Estado atingiu 5,3% no período, recuo de 0,6 ponto percentual diante do trimestre anterior (5,8%), mantendo-se com o menor índice de desemprego do país.

> Confira a análise sobre a  Força de trabalho em SC

O resultado é menor, inclusive, que o período pré-pandemia (5,7%). Em nível nacional, o desempenho é similar, redução 1,6 ponto porcentual, mas o índice permanece em patamares elevados (12,6%).

De abril a junho, Santa Catarina contou com 3,7 milhões de pessoas empregadas e 207 mil desempregados. Em relação ao mesmo período do ano anterior, a queda foi de 46  mil pessoas. O movimento de recuperação das atividades reflete na criação dos mais 176 mil novos postos de trabalho no Estado entre janeiro a setembro de 2021.

O rendimento real médio, no entanto, deteriorou em virtude da aceleração dos preços.  No 3º semestre deste ano, houve redução em 3,6% na comparação com o trimestre anterior e 5,5% em relação ao igual período do ano anterior.

Confira abaixo os dados dinâmicos:

Leia também

ECONOMIA 14 janeiro, 2022

Inflação provoca descompasso entre volume e receita do comércio catarinense em novembro

ECONOMIA 13 janeiro, 2022

Volume de serviços em novembro tem alta histórica para o mês

MERCADO 13 janeiro, 2022

Reajuste do piso mínimo regional em 2022 será de 10,5% em SC

ECONOMIA 12 janeiro, 2022

IPCA fecha 2021 em 10,06%, maior taxa desde 2015